Ramatis fala sobre saúde e enfermidade



 A SAÚDE E A ENFERMIDADE
A saúde e a enfermidade são os produtos da harmonização ou desarmonização do indivíduo para com as leis espirituais.
As moléstias, em sua manifestação orgânica, identificam que no mundo psíquico e invisível aos sentidos, a alma está enferma!
O volume de cólera, inveja, luxúria, cobiça, ciúme e ódio ou hipocrisia que por ventura o Espírito tenha acumulado no presente ou nas existências anteriores forma um patrimônio de uma carga tóxica que, em obediência à lei da Harmonia Espiritual, deve ser extraída da delicada intimidade do perispírito.
Durante o período gestativo da nova encarnação, esses resíduos psíquicos venenosos, vão-se condensando gradativamente no corpo físico à medida que este cresce e, por fim, lesam as regiões orgânicas que por hereditariedade sejam mais vulneráveis.
Esse processo de o Espírito drenar o seu psiquismo doentio através da carne humana, a Medicina estuda e classifica sob uma terminologia técnica, preocupando-se mais com os “doentes”.
A causa da moléstia, na realidade, além de dinâmica é oculta aos olhos ou aos sentidos físicos; o enfermo sente o estado mórbido em si, mas o médico não o vê nem pode apalpá-lo.
Quando ocorre a sua materialização física no corpo, alterando os tecidos, deformando órgãos ou perturbando os sistemas vitais, é porque a carga psíquica enfermiça atingiu o seu final.
Por isso, não é no momento exato que o indivíduo acusa os sintomas materiais da doença que realmente ele fica doente: na verdade ele já vivia mental e psiquicamente enfermo, embora o seu mundo exterior ainda não houvesse mostrado esse fato.
As inflamações, úlceras, tumores, fibromas, tuberculoses, sarcomas, quistos, hipertrofias, cirroses, adenomas, amebiases, etc. são apenas os sinais visíveis identificando a manifestação mórbida que “desceu” do psiquismo enfermiço para a exterioridade da matéria. Ref. (01) Páginas 146 / 147

 AS MOLÉSTIAS DO CORPO E A MEDICINA
Ramatis acrescenta que os médicos ajudam as criaturas sofredoras a suportar e resistir as dores provocadas pela expurgação deletéria descida do perispírito para a carne. Eles promovem os intevalos de alívio e de convalescença, contribuindo para que os enfermos não atinjam a fase de desespero psíquico quando submetidos a um excesso de sofrimento contínuo.
A humanidade terrena, quanto as suas necessidades espirituais, nunca foi esquecida pelo Alto, pois inúmeros médicos do espirito passaram pela Terra, deixando os mais sublimes e salutares roteiros para a cura definitiva da humanidade.
Buda na Ásia, Hermes Trimegisto no Egito, Confúcio na China, Zoroastro na Pérsia, Crisna e Rama na Índia e Jesus na Judéia, além de outros líderes religiosos e terapeutas do Espírito, ensinaram com devotado carinho quais os verdadeiros medicamentos para a cura da alma.
Eles pregaram as virtudes espirituais em todos os locais do Planeta Terra e o fizeram de maneira sublime e entendível a todas as criaturas. Explicaram que, enquanto os pecados fazem mal ao Espírito, as virtudes o beneficiam.
Explica ainda que, em face do nosso progresso atual, já podemos avaliar a virtude como um processo científico e preventivo que torna mais leve o perispírito, enquanto o pecado o ensombra e intoxica pela produção de venenos psíquicos, que depois deverão ser purgados nos charcos astrais, ou então transferidos para o corpo carnal combalido e enfermo, através de cruciantes sofrimentos.
Enquanto os pecados da gula, o ciúme, a luxúria, a avareza, o orgulho, a vaidade, o egoísmo, a crueldade, a maledicência ou a hipocrisia produzem fluidos tóxicos e lesivos à delicadeza da vestimenta perispiritual, o Espírito adquire a saúde quando se habitua à prática da bondade, da paciência, da humildade, da pureza, da honestidade, do amor, do altruísmo, da filantropia, da frugalidade, da renúncia ou da simplicidade. Ref. (01) Páginas 264 / 265

 PERTURBAÇÕES, NEUROSES E DEPRESSÃO
Uma mente sã, esclarecida espiritualmente, enfrenta qualquer problema mental, emocional ou físico, tal qual a “sabedoria do rio”, que sempre se orienta e desvia-se dos obstáculos.
A mente vazia e a ignorância das leis do Espírito e da vida, ocasionam distúrbios e conflitos psíquicos, que se acabam alongando na saúde física: derrames, enfartes e até o câncer.
Para a cura do Espírito e do corpo são necessários os ensinamentos espirituais, para a renovação e reequilíbrio, sem o que a alma enferma impede a recuperação da saúde.
“Quem não se deixar vencer pela verdade será vencido pelo erro”
(Santo Agostinho).
A neurose, ou perturbação a qualquer grau, são desajustes temporários da criatura com o mundo, pessoas e coisas; é um distúrbio que dá e passa.
No fundo, a pessoa é perfeita ... A causa principal do distúrbio é a visão distorcida e o viver puramente material.
Aplique e realize o “Conheça a ti mesmo”. Com esta chave e um bom mergulho interior, uma análise profunda, a saúde espiritual estará de volta.
A Psiquiatria, a Psicanálise e a Religião, formalizada, sem as bases do conhecimento das leis do Espírito, encaram os problemas com processos, remédios e rezas, o que não atinge as causas profundas dos desajustes
Leia com muito cuidado as obras do esclarecimento básico: “O Evangelho Segundo o Espiritismo” e “O Livro dos Espíritos”, onde encontrarão as respostas e a orientação para o restabelecimento das neuroses e das depressões. Ref. (02)
Texto extraído do Site Sociedade Espírita Ramatis

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Características dos filhos dos orixás, personalidade dos filhos de Oxalá, Yemanjá, Oxum, Ogum, Oxossi, Yansã, Xangô

Orixá de Frente – Orixá Adjunto – Orixá Ancestral – A natureza humana -

Firmeza e Assentamento (Umbanda)