O médium de prova - Ramatis -







Evidentemente, a graduação espiritual depende fundamentalmente da melhor aplicação e do bom uso que fizerdes da faculdade mediúnica, pois o terrícola, em geral, ainda é muito desleixado para consigo mesmo e bastante despreocupado de conhecer o seu próprio destino no seio da vida cósmica. Ele vive demasiadamente escravizado aos fenômenos prosaicos e imediatistas da vida animal instintiva; e, por isso, desinteressado do que lhe poderá acontecer após a morte do corpo físico. Em geral, atravessa a existência física inconsciente de suas próprias necessidades espirituais; é o cidadão perdido no seio da floresta inóspita e perigosa que, em vez de empregar o seu tempo precioso à procura da saída libertadora, prefere entreter-se com as coisas inúteis e tolas que o cercam.
Em conseqüência, devido ao vosso grau espiritual e necessidade de ainda viverdes num planeta tão instável na sua estrutura geológica, como é o globo terreno, assim como participardes de uma humanidade bastante dominada pela cobiça, avareza, violência, crueldade ou sensualidade, a concessão da faculdade mediúnica de "prova" significa o ensejo de apressamento angélico em favor daqueles que estão realmente interessados em sua mais breve libertação espiritual.
O médium de prova é o homem amparado pela Bondade do Senhor, usufruindo uma condição psíquica especial, que o ajuda a liquidar seus débitos mais graves do passado, ao mesmo tempo que tenta melhor sementeira para o futuro. E se puder analisar suas próprias vicissitudes atuais ou desventuras cotidianas, ele também conseguirá avaliar o montante e a natureza dos seus pecados do pretérito, porquanto, na regência eqüitativa da Lei do Carma, os efeitos de hoje correspondem exatamente às causas de ontem.


Ramatís - do livro Mediunidade de Cura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Firmeza e Assentamento (Umbanda)

Orixá de Frente – Orixá Adjunto – Orixá Ancestral – A natureza humana -

Características dos filhos dos orixás, personalidade dos filhos de Oxalá, Yemanjá, Oxum, Ogum, Oxossi, Yansã, Xangô