Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2018

Orixá Ancestral

Quando falamos  de “Orixá Ancestral”  falamos de um par de Orixás, de Pai e Mãe, então, a questão da natureza do ser fala sobre a questão íntima, é de cada um no que diz respeito a ser: masculino ou feminino ou homem e mulher.
Dentro dessa questão, existe um texto chamado: “A natureza do ser”,  de André Luiz.
Nesse texto, de Chico Xavier,  está escrito:
“Quem tem natureza masculina, quase sempre nasce num corpo masculino; quem tem natureza feminina, quase sempre nasce num corpo feminino”.
Quem nasce homem, quase sempre nasce homem; quem nasce mulher, quase sempre nasce mulher. Quando é que acontece da natureza estar trocada? Ou seja, de ter uma natureza feminina e nascer num corpo masculino?
 Acontece sim, de ter uma natureza masculina e nascer num corpo feminino e vice-versa, isso acontece e a Umbanda tem um olhar de muito respeito para a natureza de cada um, aquele que tendo a natureza masculina quando em determinada encarnação usou da sua força pra abusar da mulher, aquele que é o machã…

Orixá Adjunto (juntó)

O Orixá adjunto (juntó), é nosso segundo orixá, ou seja, temos um orixá de frente, pai/mãe de cabeça, e um outro orixá que é o adjunto (juntó).

Nosso orixá de frente comanda nosso lado racional e o adjunto (juntó), o emocional.

 Um vibra no chacra frontal, pai/mãe de cabeça, e o outro em seu lado oposto, adjunto (juntó).


Toda vez que você se desequilibra do seu racional, o Juntó lhe ampara. 
Se você tem Oxum de Frente, você está o tempo todo recebendo as qualidades de Oxum.

 Quando você se desequilibra na qualidade do seu Orixá de Frente você passa a ser amparado pelas qualidades do seu Orixá de Juntó.
Outro exemplo: você está com Ogum de Frente, Ogum o está impelindo o tempo todo a agir, se impondo pela lei, pela emoção, algo que às vezes vai ser feito até pela força, qualidade de Ogum, de Frente. 

Como a sua natureza é outra, há momentos que você se desestabiliza e aí é o Juntó que vai lhe dar o equilíbrio.

 Se o teu Juntó é Oxum, no momento em que você se desequilibra nessa força de Ogum é…

Orixá de Frente - Umbanda -

Orixá de Frente 

Sou filho de qual Orixá? Qual Orixá me rege? Minhas características pessoais correspondem a qual Orixá?
Seriam meus Orixás regentes um "casal"? Ou dois femininos/masculinos? Isso é possível? 
É preciso conhecer ao menos um pouco sobre nossa relação com os Orixás porque cada terreiro tem sua interpretação, portanto, cabe a você, filho de Orixá, reconhecer-se, ou não, como filho/protegido de Orixá até mesmo para fazer uma escolha adequada de terreiro para seguir se desenvolvendo espiritualmente.
Por conta da diversidade de rituais Umbandistas, onde cada casa trabalha a seu modo, ou seja, trabalha conforme o dirigente determina, há muita confusão na hora de determinar o orixá regente de seus filhos de fé.

Pode acontecer de uma mesma pessoa, que se consulte acerca de seu orixá de frente, receber, em cada casa onde busque essa informação, uma resposta diferente.

 Por isso é importante que o adepto, ou simpatizante, procure conhecer os orixás antes de sair em busca de u…

Culto a Yemanjá

Culto a Yemanjá


Texto de Luiz Antonio Simas


Como virou quase uma tradição de fim de ano e uma turma já me pediu para circular novamente, vai aí o meu velho textinho instrumental para os macumbeiros de ocasião, que sofrem do que chamo de "síndrome de Vinicius de Moraes" (não entendia patavina de orixá, inquice e vodum - como vários letristas da MPB - errou tudo nas letras dos afro-sambas, transformou Ossain em traidor, pintou os cavacos e fez coisas lindas e absolutamente eternas sobre o babado): a turma que aproveita o réveillon para virar subitamente - no que, aliás, faz muito bem - devota de Iemanjá.


IEMANJÁ PARA OS DEVOTOS DE OCASIÃO


Eis que chega o fim do ano e o babado se repete: muitos cariocas e turistas se transformam em devotos potenciais de Iemanjá. Mesmo aqueles que não fazem a mais vaga ideia sobre o que é um orixá jogam flores no mar, pulam ondas, fazem pedidos, chamam, cheios de intimidade, o orixá de Mamãe Sereia e o escambau. Celebridades de ocasião, então, adora…

Teoria e pratica na Umbanda - por Anna Pon -

Imagem
A teoria é ótima e a prática sua mais fiel aliada no caminho de quem abraça o trabalho mediúnico.

Teoria e prática são irmãs inseparáveis! Nada vale a teoria sem sua irmã pratica. O conhecimento que não vive a experiencia é vão e a pratica, sem a teoria, é confusa e pode se tornar vazia, sem sentido, pois que lhe falta sempre o tempero.
Vale lembrar que, no caso da Umbanda, aventurar-se em sua pratica, sem teoria, sem conhecimento, sem norte, implica a graves riscos ao aventureiro.
Tudo o que se faz na Umbanda tem fundamento, razão de ser e acontecer.

Quem se arrisca a aplicar a teoria disponível na Internet, sem observar a fidelidade das fontes consultadas, se arrisca ainda mais.
Não basta querer fundar um terreiro, antes e principalmente, o candidato precisa de uma orientação firme de seu guia/mentor, depois precisa se engajar num trabalho/casa, de sua confiança e aprender com o sacerdote e os guias da casa, os fundamentos daquela linha especifica de trabalho, depois, dentro das orientaç…