Há uma regra de ouro na Umbanda?




Há uma regra de ouro na Umbanda?

Apenas uma regra básica, seguida por várias religiões, comentada por muitos autores, pensadores, filósofos.

Tal regra se aplicaria à Umbanda?

Claro que sim, por que não?

As religiões são caminhos que levam à crença num poder maior, são alivio para uns, salvação para outros. Cada uma, a seu modo, conduz o fiel, ou seguidor, à algo que o satisfaça espiritualmente, que toque seu coração e o ajude a suportar as dores da jornada durante a vida.

Normalmente falam, cada uma à sua maneira, e tom, sobre as mesmas coisas, as mesmas orientações, com poucas diferenças e muitas semelhanças na essência.

Umas são mais rígidas, outras nem tanto, algumas não pretendem carregar o nome de religião e se apresentam como filosofias, doutrinas, enfim, existe semelhança na diferença porque cada um tem seu jeito de entender e assim temos religião, prática de fé, para todas as consciências e culturas, mas apenas uma regra, de ouro, que as torna próximas, parecidas em seus fundamentos e pensamentos acerca da vida em sociedade e dentro de seu grupo familiar e religioso.

Já dizia Chico Xavier:

"Três verbos existem que, bem conjugados, serão lâmpadas luminosas em nosso caminho – Aprender, Servir e Cooperar.
Três atitudes exigem muita atenção – Analisar, Reprovar e Reclamar.
De três normas de conduta jamais nos arrependeremos – Auxiliar com a intenção do bem, Silenciar no momento oportuno e Pronunciar frases de bondade e estímulo.
Três diretrizes manter-nos-ão, invariavelmente, em rumo certo – Ajudar sem distinção , Esquecer todo o mal e Trabalhar sempre.
Três posições devemos evitar em todas as circunstâncias – Maldizer, Julgar e Destruir.
Possuímos três valores que, depois de perdidos, jamais serão recuperados – A hora que passa, A oportunidade perdida e A palavra proferida.
Três programas sublimes se desdobram à nossa frente, revelando-nos a Consciência Superior – Amor, Humildade e Bom ânimo.
Em nossas necessidades, sempre três abençoadas regras vão de encontro a nossa evolução e consciência – Corrigir em nós o que nos desagrada em outras pessoas, Amparar-nos mutuamente e Amar-nos uns aos outros."

» por Chico Xavier

Todas essas orientações são chaves para o bom convívio, para o bem viver e todas as religiões se valem delas de alguma forma, repito, cada uma à sua maneira, orienta assim seus fiéis porque o objetivo é evoluir, ser melhor para si mesmo e para os outros, eu diria que são regras de prata porque a de ouro, comum entre as religiões é:

Não fazer ao próximo o que não deseja que seja feito a você.

Na Umbanda recebemos orientações dos guias espirituais, além dos sacerdotes e mais velhos de religião. Tem gente que não sabe que a Umbanda é uma religião, há muita desinformação, muitas crenças sem fundamento, quando o assunto é Umbanda, pairam no mental de quem não conhece a religião. Muita gente pensa que a Umbanda é um balcão de negócios, magia negra para conseguir o que se quer sem esforço algum. Os pensamentos não param por ai, se estendem às raias do mais completo absurdo por conta da total falta de informação, além de boa vontade para entender.

Voltando à nossa "Regra de Ouro", na Umbanda, ela se aplica?

Quem conhece a religião sabe a resposta, sabe que sim, que se aplica em todos os sentidos da vida porque Umbanda respeita o próximo com seu livre arbítrio, acolhe a todos(as) e respeita todas as religiões com suas maneiras de expressão.

Cada um de nós tem seu tempo para compreender e assimilar as grandes orientações para bem viver a vida, nem todos se dão conta disso, mas na Umbanda, caminhamos para a evolução mesmo diante das dificuldades e se estamos bem orientados, pelos guias, sacerdotes, mais velhos, sabemos que não devemos fazer ao outro o que não queremos para nós. Mesmo assim, mesmo com toda a orientação, vez ou outra caímos no erro, nos pegamos fazendo ao outro aquilo que não gostaríamos que fosse feito a nós porque estamos em aprendizado e vamos errar muitas vezes até que, finalmente, não erramos mais sobre um determinado assunto e seguimos em frente, um pouco de cada vez lapidando o nosso caráter através do auto conhecimento que a Umbanda estimula.

Ter a "Regra de Ouro" como filosofia de vida é um avanço extraordinário porque diariamente, sem percebermos, violamos essa regra porque não paramos para pensar sobre o assunto, porém, a vida é cobradora e a lei do retorno existe, quer você acredite ou não.

Penso que tudo o que é muito simples, carrega consigo a complexidade. A "Regra de Ouro" é simples, mas respeitá-la é que são elas, cumpri-la pode parecer fácil, mas na verdade não é. São várias ações e pensamentos diários que nutrimos sobre o outro, que nos distanciam de a bem seguir e cumprir. É preciso vigiar cada pensamento e perceber que talvez o outro também pense sobre nós de uma maneira que nos desagrada, portanto, a regra, quando bem observada, é complexa. Ela ultrapassa o limite da ação e se aplica além.

É claro que nem tudo o que pensamos, fazemos, nem tudo o que pensamos corresponde à verdade, às vezes, temos uma visão limitada sobre alguns assuntos que nos induzem ao erro. Estamos aqui, vivendo esse momento, para seguir aprendendo e quando escolhemos a Umbanda, como forma de expressar nossa religiosidade e fé, temos de saber que os valores que a religião nos ensina são muitos e um deles é exatamente a "Regra de Ouro" tão comentada pela espiritualidade que sempre nos alerta quanto à necessidade de observá-la a todo instante em nossa vida, principalmente nós, Umbandistas, que somos médiuns e captamos pensamentos de tantas inteligências encarnadas e desencarnadas diariamente. Cada vacilo nosso pode vir a se tornar um grande problema.

Nota:
Qual é a regra de ouro da ética?

A regra de ouro - o princípio de que não devemos fazer aos outros o que não queremos que nos façam - é, certamente, o preceito mais difundido e aceito em todos os tempos. É hoje repetida na quase totalidade dos autodenominados códigos de ética das grandes organizações.


Dito isto, faço um convite: Dedique alguns minutos de seu dia para observar se está, ou não, seguindo a Regra de Ouro. Você pode se surpreender.

Muita Luz prá você!

Anna Pon

Olá, sou Anna Pon, autora deste blog. 
Conheça meu trabalho de psicografia literária e seja sempre bem-vindo!  


"Vô Benedito nos Tempos da Escravidão" novo trabalho psicografado por Anna Pon. 
Transmitido por Vô Benedito (Espírito)
Já à venda no Clube de Autores e nas melhores livrarias do Brasil
Nas versões impresso e e book acesse o link!



"Serena" trabalho psicografado por Anna Pon 
Transmitido pelos espíritos Pai Inácio e Shàa
À venda no Clube e nas melhores livrarias do Brasil
Nas versões impresso e e book acesse o link!



"Maria Baiana e a Umbanda"
Uma psicografia de Anna Pon pelo espirito de Maria Baiana
Disponível nos formatos e book e capa comum, já a venda em
Amazon.com





Publicações pela Editora do Conhecimento

"A História de Pai Inácio" https://bit.ly/3tzR486  

"A Cabana de Pai Inácio"  https://bit.ly/3nlUKcv


"Carmem Maria" https://bit.ly/3z0tLp4




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Características dos filhos dos orixás, personalidade dos filhos de Oxalá, Yemanjá, Oxum, Ogum, Oxossi, Yansã, Xangô

Flores para os Orixás

Orixá de Frente – Orixá Adjunto – Orixá Ancestral – A natureza humana -