Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Mensagem de Vovó Cambinda da Guiné

Imagem
Graças Graças a Deus!  Pela vida, pela água, por todas as bênçãos sobre nós derramadas todos os dias.  Graças a Deus!  Por aqueles que se dispõem a nos auxiliar, que em nome da caridade, deixam seus lares, filhos, pais, amigos, para nos assistirem.   Graças a Deus!  Pela fé, pelo alento das mãos amigas que vêm, através de outras mãos, nos socorrerem, aliviarem.   Graças a Deus!  Pela prece, por Jesus, por todos os que vêm, em Seu Nome, nos ajudar.   Graças a Deus!  Por tudo, pois se hoje sofremos, choramos, amanhã nossa dor, nosso pranto, há de se transformar em alívio, em riso, encanto por saber que nada, por Sua Misericórdia, é definitivo porque tudo passa e, passar por tudo, N’Ele confiando, é a nossa garantia de progresso.  Uma corrente não se forma só no nome, ela se compõe da firme disposição de cada elo que a forma.  Não somos um, somos todos e todos colaboramos com a corrente fraterna do bem, com Nosso Senhor.  Que seus corações realmente se unam, não somente para mais

Prá que gritar?

(Extraído de uma palestra do pensador indiano Meher Baba) Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos: - Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas? - Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles. - Mas por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?, questionou novamente o pensador. - Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo. E o mestre volta a perguntar: - Então não é possível falar-lhe em voz baixa? Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu: - Vocês sabem por que se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que acontece quando duas pessoas estão enamo

O consolador

O CRISTO CONSOLADOR Crer na continuidade da vida é passar com mais força pelas dificuldades e tristezas. É esperança. Crer na justiça de Deus e na reencarnação elucida muitos dos “mistérios” vividos. “Conhecimento das coisas que faz o homem saber de onde vem, para onde vai e porque está na Terra; chamamento aos verdadeiros princípios da Lei de Deus e consolação pela fé e pela esperança”. Eis o Cristo Consolador. “Orai e crede! Porque a morte é a ressurreição e a vida é a prova escolhida durante a qual vossas virtudes cultivadas devem crescer e se desenvolver como o cedro”. Estamos aqui de passagem e o grande objetivo é o aprendizado. Aquele que crê e confia em Deus, em suas mãos deposita sua vida, pois sabe, no fundo de seu coração que o sofrimento é passageiro e que nova vida nos espera. Os tesouros que conosco levaremos não são de ouro e prata, são os tesouros da alma resignada e confiante N’Ele que tudo pode. Há pobres ricos e ricos pobres. A riqueza mater

Mediunidade - Definição

MEDIUNIDADE texto de Anna Pon “Os médiuns são as pessoas aptas a receberem a influencia dos Espíritos e transmitirem os seus pensamentos. Toda a pessoa que sente num grau qualquer, a influencia dos Espíritos é, por isso mesmo, médium. Essa faculdade é inerente ao homem e, por conseguinte, não é, de nenhum modo, um privilégio exclusivo: também há poucos nos quais não se lhe encontra algum rudimento. Pode-se, pois, dizer que todo o mundo, com pequena diferença, é médium; todavia, no uso, essa qualificação não se aplica senão naqueles nos quais a faculdade mediúnica se manifesta por efeitos ostensivos de uma certa intensidade.” Trecho Extraído do Livro Obras Póstumas de Allan Kardec Parag.6 – 33 – Tomando por base os esclarecimentos do codificador do Espiritismo, concluímos que mediunidade é faculdade natural do ser humano. Nada tem de extraordinário ou sobrenatural, Apresenta-se em qualquer idade e em qualquer pessoa, independentemente de sua condição

Mediunidade

Mediunidade, cada um com a sua Nasci numa família de católicos. Alguns mais, outros menos comprometidos com a fé cristã. A igreja para mim, quando criança, era questão de respeito, por um lado, e de diversão por outro porque era na igreja que eu encontrava meus amigos. Fé para mim, naquela ocasião, era um sentimento desconhecido mesmo frequentando a igreja e “ouvindo” os sermões, mesmo acompanhando as rezas de minha mãe. A medida que fui crescendo, porém, fatos “assustadores” começaram a acontecer. Lembro-me da minha primeira visão aos nove anos de idade e de um fato não menos “assustador” ocorrido na manhã seguinte a essa visão. Falei com minha mãe sobre o assunto, porém, a resposta que obtive me deixou ainda mais inquieta e amedrontada. Não se pode culpar alguém por não conseguir nos ajudar nessas horas, mesmo porque nem todos compreendem e aceitam a mediunidade. O tempo se encarrega de nos impulsionar para que busquemos as respostas sobre os fenômenos que nos acontecem,

Simplesmente uma mensagem (psicografia)

Recebi, por intuição, a mensagem abaixo há algum tempo. Hoje, que tenho um blog, resolvi postá-la e compartilha-la.  Não me foi passado, na época, o nome de quem me inspirou a escrever, porém, na minha opinião, parece que essa pessoa foi ou ainda é poeta. Espero que gostem, com carinho, Anna Pon 13.10.1997 Mensagem Tempo de despertar. A cada dia, a cada nova tragédia e calamidade devemos refletir. Do planeta, o que será? E os homens, para onde irão? Profecias se cumprem, chamados a cada instante são feitos. Felizes os que cumprirem a obra. Candidatemo-nos agora. Os ventos chegarão como temporais. A água lavará toda a tristeza da qual impregnada está. Vigiemos, amemos, trabalhemos com amizade, perdão e concórdia... Laços estreitos, por vezes, complicados, por vezes, adorados, são laços longínquos de um tempo passado. Família nossa, toda a atenção que merece é a vigília incessante de nossas almas em prece. Hostilidade que se apresente, oportunidade de ajustes. Compreendamos, perdoemo

Reflexão sobre alguns comportamentos

Olá! Gostei desse texto e quero compartilhar! Obrigada a todos vocês que se interessam pelo blog e por meus pensamentos! Beijos, Anna Comportamentos esdrúxulos Vianna de Carvalho (espírito) A criatura humana, pela sua procedência espiritual, está equipada de recursos que lhe facultam a crença natural na imortalidade da alma. Nela predomina o atavismo da fé espontânea, que lhe constitui recurso iluminativo, provendo-lhe de ânimo para a resistência a quaisquer adversidades e infortúnios, por sentir que a existência corporal é, sem dúvida, uma experiência educacional e não a realidade em toda a sua exuberância. No entanto, à medida que envereda pelos meandros do comportamento conflitivo, elabora mecanismos de resistências contra a sobrevivência, em inquietantes tentativas de aniquilar a vida, como, se dessa forma, se pudesse evadir por definitivo do sofrimento e das frustrações. Inconscientemente, rebela-se contra os impositivos da evolução, e, guindando-se ao prazer, gostaria que as sens

Ensinar gentileza

Ensinar Gentileza Olá, A humanidade vive, nos dias atuais, o efeito de forte crise. Tal crise se deve não à perda de valores, mas sim ao início do remanejamento do planeta que se prepara para grande modificação. Consequentemente, a humanidade sofre a turbulência que é inerente a processos de renovação, por essa razão, têm todos a sensação que o tempo passa mais rápido. É muito comum ouvirmos alguns encarnados falando sobre a perda de valores morais, éticos, religiosos que assolam a humanidade, porém, alertamos que ninguém perde aquilo que não tem e que, se esses mesmos valores tivessem criado raízes fortes, hoje não teriam sucumbido, aliás, há muitos que ainda conservam firmes tais valores, basta somente que haja disposição para olhar em volta. Tudo é uma questão de impressão e os humanos têm confundido valores, uma vez que se queixam pelo que não recebem e, a seu turno, projetam suas frustrações na forma de intolerância e agressividade, despreocupados com os valores que