Postagens

Destaque

Serena - Lançamento do Clube de Autores - Obra psicografada por Anna Ponzetta

Imagem
Clique na imagem para adquirir em epub ou versão física Serena é um romance mediúnico que conta a estória de uma jovem portuguesa em terras brasileiras. Vítima de um naufrágio, no qual perdeu toda a sua família, Serena encontra ajuda inesperada para seguir vivendo e principalmente se fortalecendo numa terra absolutamente desconhecida. Sem família ou amigos, Serena passa a viver da solidariedade alheia e recebe, para sua surpresa, auxílio espiritual para vencer os inúmeros desafios que vão surgindo ao longo de sua vida no Brasil. Ela descobre muito sobre si mesma vivendo independente. Sua força de trabalho, capacidade para sobreviver e se relacionar foram algumas de suas descobertas, porém, a maior de todas, foi a da mediunidade, dom que a acompanhava sem que jamais tivesse se dado conta. Jovial e simples, Serena é um exemplo de fé e de perseverança que inspira e fortalece a crença na espiritualidade e nas vidas sucessivas. Católica de berço, Serena encontra no Brasil, outras

Flores para os Orixás

Imagem
      Flores para os Orixás  por Mônica Berezutchi    Os Pais e Mães Orixás são administradores dessas essências vivas e Divinas do Criador que existem nas flores. E quando dizemos “essa flor é deste Orixá”, é por que ela está “cheia” deste magnetismo que beneficia não só as pessoas, mas os ambientes também.  Vejamos algumas flores associadas às essências dos Pais e Mães Orixás:   • OXALÁ : rosa branca, lírio branco, margarida branca, copo de leite, girassol, jasmim, lágrima de Cristo, lírio da paz.  • OYÁ : rosa amarela, rosa champanhe, crisântemo amarelo, liziantro;  • OXUM : rosa cor-de-rosa, flores do campo, flor da fortuna, lírio amarelo e rosa, rosa amarela, calêndula, camomila.  • OXUMARÉ : flores do campo coloridas, flor de laranjeira, hortênsia.  • OXÓSSI: flores do campo coloridas, crisântemos coloridos, flores silvestres.  • OBÁ : gérbera magenta, azaleia cores vivas.  • XANGÔ : palma vermelha, bico de papagaio, cravo vermelho, margaridas vermelhas, gérbera vermelha.  • EGU

As ervas e os Orixás

Imagem
  As ervas e os Orixás   OXALÁ   OXALÁ é o grande Pai e é Co-Criador Divino. É representado pela cor branca . Nos conduz à fé, estimulando, através de sua vibração, a buscarmos a fé. Na Umbanda, Jesus é o maior símbolo de seus atributos. Elemento : cristal    Ervas de limpeza : açoita cavalo, erva de bicho, mamona, orégano, alho, fumo (tabaco) algodoeiro, angélica, anis estrelado, artemísia, cravo da índia, ipê roxo, jasmim, laranjeira, louro, noz-de-cola (obi), pichuri, saco-saco, sândalo, verbena. Ervas Calmantes : alcachofra, alcaçuz, alecrim, alfazema, aquileia (mil folhas), bardana, boldos (todos), girassol, hortelã, incenso, levante, manjericão, manjerona, rosa branca, salvai, tomilho, folha da costa (saião).        OXUM  OXUM é a mãe das águas doces. Seu atributo é o amor. Oxum nos equilibra emocionalmente, é misericordiosa e compassiva. Nos inspira à caridade, à benevolência para com o próximo, cuida da concepção, da gestação, protege futuras mães e fetos. Elemento : mineral   

As Ervas e sua Utilização em banhos e defumações

Imagem
      As Ervas e sua Utilização em banhos e defumações    Defumar é queimar ervas secas e resinas no carvão em brasa. Existem outras formas de defumar, cada pessoa desenvolve a maneira que seja mais adequada à sua realidade. O importante é se servir desse recurso com fé e gratidão pela generosidade da natureza. Prática antiga presente em várias religiões e rituais das mais diversas culturas, tem por objetivo a limpeza astral e energética dos ambientes e pessoas. A defumação quebra a negatividade e cada erva tem uma função especifica. Para defumar a casa usando carvão em brasa é necessário um turíbulo, peça especialmente desenvolvida para essa finalidade, porém, para tanto, é preciso cautela e alguma experiência porque pode ser perigoso o manuseio. Sempre há uma forma mais confortável e segura para defumar a casa e as pessoas, é uma questão de explorar opções sempre com muito cuidado para evitar queimaduras ou incêndios.  Oportuno lembrar que enquanto prepara a defumação, seu pensamento

Curiosidade sobre a imagem de Iemanjá

Imagem
  Curiosidade sobre a imagem de Iemanjá A estátua de Iemanjá representada por uma mulher branca, vestida de azul, com cabelos negros e longos, que aparece acima do mar, é uma imagem que foi descrita por uma clarividente senhora Dala Paes Leme – história contada por Pai Ronaldo Linares. Disse ele que na década de 50 essa senhora Umbandista viu Iemanjá sobre as águas do mar no Rio de Janeiro e a descreveu para um artista desconhecido que fez o primeiro quadro de Iemanjá e a partir desse quadro então foi idealizada a imagem de gesso. As tradicionais imagens de gesso de Iemanjá começam a aparecer tardiamente nos Terreiros de Umbanda. Surge entre a década de 50, 60 e na década de 70 essa imagem vai se popularizar. A imagem da mulher branca que representa Iemanjá na Umbanda portanto é fruto de visão mediúnica que merece todo o nosso respeito, mesmo porque a maioria dos Umbandistas reconhece a Mãe Rainha do Mar através dessa imagem que criou raízes no mental coletivo Umbandista. Sabemos que i

Imagens de Yemanjá - vídeo

 

Yemanjá - Homenagem à Yemanjá 2021 - vídeo

 

Signos Mágicos (pontos riscados)

Imagem
  De Onde Saem os Signos Mágicos  por Rubens Saraceni    Os signos mágicos espalhados por todas as culturas religiosas nem sempre são identificados como tal e sim como caracteres especiais, sagrados mesmo.  Vemo-los em máscaras ritualísticas; em brasões religiosos; em estolas; em mantos; em adereços ou vestes de imagens sacras; em cajados; em vasos; em pórticos e altares; em decorações internas e externas de templos etc. Enfim, os signos mágicos estão espalhados por todos os lugares onde surgiram religiões e, mesmo que muitas já tenham deixado de existir, seus signários sobrevivem e têm se mostrado para quem tem olhos para vê-los.  Nós entendemos que, mesmo sem saberem quais são os seus fundamentos sagrados, ainda assim eles são evocadores de poderes e encerram em si toda uma sacralidade silenciosa, suscitam respeito, admiração curiosidade em quem se sente atraído por eles. A falta de um conhecimento profundo sobre eles não invalida o seu uso, se bem que também não proporciona uma form