Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Lenda da bilha de São Jorge - Portugal -

Olá!
Essa é uma história de fé, amor e coragem!
Que São Jorge possa valer sempre a todos aqueles que nele depositam a sua fé!
Lembrando que só alcançamos a vitória se formos merecedores da mesma e se tivermos fé firme e forte!
Salve São Jorge Guerreiro! Que ele nos proteja, nos valha e nos ensine a caminhar com muita fé, esperança e amor!!!
Annapon


Foi nos primeiros dias de Agosto de 1385. O Sol dardejava o seu sopro de fogo sobre as terras de Portugal e Espanha. Corpos aquecidos e espíritos ardendo em febre! Ânimos mais exaltados ainda pelo calor da discórdia!
O rei de Castela levara até à Beira a sua invasão em território muito nosso. E o jovem rei de Portugal — rei havia apenas questão de meses — correu para a cidade do Porto para reunir tropas, descendo depois sobre Abrantes, onde iria encontrar-se com o condestável do reino. Este correra antes a Estremoz. Aí, aliciara gente. E fortalecido pela fé de vencer, chegou à cidade de Abrantes, onde iria reunir-se conselho.
O ar, demasiado abafad…

Exu Tranca Ruas das Almas - por Annapon -

Imagem
Exu Tranca Ruas das Almas
por Anna Pon

Quem conhece um Guardião de verdade não se aventura a falar sobre ele sem o seu consentimento, nem tampouco joga palavras ao vento porque quem conhece um Guardião/Exu sabe que, para falar sobre ele, é preciso conhecimento e permissão.

Dizem por aí, que Seu Tranca Ruas arrebanha almas para escravizar, que engrossa as fileiras de seu "exército" com as almas "perdidas" que resgata.

Como poderia ele resgatar e depois escravizar? Sendo ele o enviado para que os espíritos sejam resgatados, esclarecidos, conduzidos à local adequado ao seu adiantamento, como poderia ele escravizar almas nessas condições frágeis que necessitam de ajuda e cura?

É preciso muita cautela com o que se lê na rede, pois, pessoas, sem conhecimento, espalham certezas que não existem e ainda colaboram com a ignorância no sentido da falta de conhecimento e prática junto às entidades militantes na Umbanda.

Dizem ainda, que os tais "escravos" é que recebem, nas…

Conduta do médium Umbandista

Mãe Iassan Ayporê Pery
Dirigente do CECP - Centro Espiritualista Caboclo Pery

Se somos pessoas religiosas, ou seja, se temos uma religião, espera-se de nós atitudes compatíveis com esta condição. Em função disto já que sou umbandista, falo de minha religião e sobre o que é esperado de seus praticantes.

Muitos falam apenas na conduta esperada no médium antes e durante as sessões ou giras, mas quase nada se fala do depois da gira e normalmente o que é falado é sobre o imediatamente após a gira ou no máximo 24 horas após o término da sessão.

Não podemos e nem devemos ser umbandistas durante as 48 horas que giram em torno de uma sessão, mas sim 24 horas por dia e 7 dias por semana. Mas isso é no sentido da conduta no nosso dia-a-dia. O quanto nos preocupa a caridade, o amor, a fraternidade e o respeito pelo próximo, o quanto disto tudo faz parte de nossos corações e mentes, verdadeiramente.

Não adianta de absolutamente nada banhos, defumadores, preceitos preparatórios para as sessões, se quand…

Iniciação à Escrita Mágica Divina

Iniciação à Escrita Mágica Divina
Rubens Saraceni / Ed. Madras
O texto que segue é parte do livro citado.

Apresentação

Amigo leitor, este livro de iniciação à escrita mágica divina é uma abertura parcial de um dos mais fascinantes mistérios da magia simbólica, toda fundamentada em símbolos e signos, muitos deles já conhecidos dos magos e usados por eles desde os primórdios da humanidade.
A magia simbólica sempre foi usada e o simbolismo tem inúmeros livros que procuram decifrar e ensinar seus significados e seus poderes às pessoas que os apreciam e os usam, seja como talismãs protetores ou repulsores de energias negativas e entes trevosos.
Talismãs e pantáculos mágicos sempre foram e sempre serão usados pelas pessoas que creem nos seus poderes. Mas um pantáculo não consagrado corretamente às divindades inscritas nele com certeza será somente um belo adorno e nada mais.
Cópias modernas de antigos pantáculos mágicos são inoperantes porque estão desconectadas das divindades que ativam os símbol…

Um Exemplo de Trabalho de Exu na Umbanda

Um Exemplo de Trabalho de Exu na Umbanda
Por Mãe Iassan - Dirigente do Centro Espiritualista Caboclo Pery



OBS: Essa história foi contada pela Pomba Gira Maria Padilha das 7 Encruzilhadas que trabalha na Egrégora do CECP, visando explicar algumas dinâmicas de trabalho.

Os personagens dessa história receberam nomes fictícios.


Carlos se dirige a um Centro de Umbanda aconselhado por um amigo, pois a sua vida está bastante complicada. Sua mãe vive doente, já tendo ido a diversos médicos sem sucesso na cura. O seu pai foi demitido da empresa que trabalhava há mais de 25 anos e vive deprimido e chorando pelos cantos. Ele mesmo desempregado há três anos, vê o seu filho adoecer sem condições de comprar o medicamento. A sua esposa, única ainda empregada, apresenta sérios indícios de fadiga mental e física.

Ao chegar no centro descobre que é dia de consulta com Preto Velho. O seu amigo Cláudio, vai explicando a rotina da casa e como ele deve agir e pedir na hora da consulta.

Chega finalmente a sua vez…