Treva e Luz



 

As trevas se opõem à Luz. Por isso as trevas não são ausência de luz, mas sim algo que desafia a Luz.

Luz e trevas, alto e embaixo, nada foge aos olhos do Criador porque ele está em todos os lugares e se manifesta da mesma forma seja onde for.

Os mecanismos da criação são os mesmos e aplicados igualmente, nós é que os buscamos pela via da dor ou do Amor. 

Desvirtuar os valores da vida provocam a queda (embaixo), mas há amor em todos os lugares e meios. Ama-se, independente de qualquer coisa, mesmo que esse amor esteja doente, ele se manifesta tanto em cima (alto) como embaixo.

O ódio, que é o oposto do amor, é um sentimento doente, perverso, se opõe sempre ao bem e ao amor que liberta, cuida e cura.

Por isso sempre haveremos de lidar com o amor e com o ódio, praticar o bem é muitas vezes uma ação que incomoda aos que odeiam, por isso a treva odeia e a luz ama o bem que praticamos de várias maneiras. 

A treva inverte a ação do bem, a maldiz. No estágio atual da Terra oscilamos entre a luz e a treva porque ainda não evoluímos o suficiente, conservamos o egoísmo, a incompreensão, mascaramos nossos sentimentos.

Nossa convivência social é mista, existem entre nós os dignos da luz e outros que já vivem nas trevas, por isso, sempre que praticamos o bem somos atacados de alguma forma.

Estender a mão ao próximo esperando sua gratidão é uma ilusão e nisso a treva se compraz porque toca em nossa natureza humana egoísta e apegada. O altruísmo é o caminho, praticar o bem simplesmente por amar o bem sem nada esperar, é ai que reside a luz, o despertar para uma nova postura e consciência.

Quem vibra na luz não espera recompensa porque praticar o bem é um grande prazer, a recompensa é o estado de bem-estar, de consciência tranquila que não tem preço nem cobrança.

Quando as trevas nos enganam, somos esclarecidos pela luz.

O mal existe e nos cerca, mas o bem é muito maior. Não há demanda negativa que a força do bem não vença. Se uns nos odeiam, os que nos amam são em maior número porque o bem que realizamos os atrai para o nosso lado e assim também é em caso oposto.

Ninguém pode mais que Deus, nenhuma força é maior que a Dele e o amor de Deus é para todos, para os que o amam e para os que não. Assim é.

Em tudo e em todos está Deus.

Pela lei do amor, Deus irradia virtude e absorve o vicio. O que é Divino é sempre Divino não humano sujeito à oscilações.

O ser humano gera ilusão, ódio, ignorância, injustiça, desordem, involução.

O Criador não gera o negativo, isso fica por conta do humano porque Deus em tudo e em todos está. Cabe a cada um a opção: Luz ou Treva; Vida em abundancia ou sofrimento até que seja tocado pela luz ou definitivamente seja absorvido pela lei Divina e por consequência de sua própria vontade.

Anna Pon

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Características dos filhos dos orixás, personalidade dos filhos de Oxalá, Yemanjá, Oxum, Ogum, Oxossi, Yansã, Xangô

Orixá de Frente – Orixá Adjunto – Orixá Ancestral – A natureza humana -

Firmeza e Assentamento (Umbanda)