Simplificando a teoria sobre Orixá Ancestral, de frente e ajunto




Simplificando a teoria sobre
Orixá Ancestral, de frente e ajunto



ORIXÁ ANCESTRAL


Assim que uma pessoa conhece a Umbanda e pela religião se interessa, a primeira coisa que aguça sua curiosidade é sobre seu Orixá.

Mais curiosa ainda fica quando descobre que o Orixá ancestral (também conhecido como Orixá de nascimento) não é o mesmo que o de cabeça e ajunto, complica um pouco, é natural.

Orixá ancestral é aquele que nos "recebeu" ou magnetizou no momento que fomos criados por Deus. Tem a ver com a nossa natureza íntima que jamais se modifica e que foi determinada pelo Criador, ou seja, se essencialmente fomos criados para sermos amorosos, foi Oxum que nos recebeu, portanto ela seria nossa Orixá ancestral e assim por diante.

O Orixá ancestral sempre nos guiará. Podemos reencarnar muitas vezes, e sob as mais diversas irradiações, mas nunca mudará nossa natureza íntima, nossa essência concedida, por herança, pelo Orixá ancestral, será sempre a mesma.


ORIXÁ DE FRENTE

A cada encarnação seremos regidos por um orixá de frente (o que nos guiará enquanto viver uma encarnação) e será equilibrado por outro orixá que será o auxiliar (o ajunto) desse orixá de frente ou de cabeça. 

O Orixá de cabeça  regerá a encarnação do ser e o influenciará durante a encarnação. É responsável pela mediunidade e por absorver o aprendizado dentro dessa regência (temporária) que nos faz evoluir pelo contato com seus atributos, pelo rico aprendizado que representa para o espírito. 


ORIXÁ ADJUNTO 

O orixá ajunto  nos equilibra porque atua na parte emocional, nos estimula e inspira a não perdermos a nossa essência ancestral.

A dúvida de alguns médiuns se explica pela precariedade de alguns métodos divinatórios usados para identificar o orixá da cabeça e seu ajunto. É preciso confiar em quem executará a ação de revelar qual é seu orixá de cabeça e adjunto para que não se estabeleça a confusão e a descrença. Principalmente é preciso conhecer os Orixás e tirar sua própria conclusão através de sua sensibilidade. Essa é uma boa e segura maneira de conhece-los.

Toda vez que reencarnamos, mudamos de Orixá de Cabeça e Adjunto, dessa forma vamos evoluindo e desenvolvendo faculdades que se relacionam com todos os Orixás, portanto, quanto mais antigo é um espirito, a tendência é que seja mais evoluído, pois absorveu qualidades e conhecimentos de todos os Orixás. 

Revelar o Orixá ancestral é difícil. É preciso muita experiência e sensibilidade para observar a pessoa em seus gestos e natureza íntima para que se chegue à conclusão, porém, é sempre a pessoa que o sentirá dentro da intimidade de seu coração.

O Orixá ancestral pode se revelar em sonho ao médium que sentirá sua energia e então haverá de concluir por sua própria experiência.

Anna Pon

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Características dos filhos dos orixás, personalidade dos filhos de Oxalá, Yemanjá, Oxum, Ogum, Oxossi, Yansã, Xangô

Orixá de Frente – Orixá Adjunto – Orixá Ancestral – A natureza humana -

Firmeza e Assentamento (Umbanda)